quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Jograis evangélicos e peças para Culto de Missões - Livro grátis


O Culto de Missões e todos os demais momentos de promoção missionária de sua igreja agora poderão contar com o excelente recurso que são os jograis e as representações teatrais. O livro gratuito Teatro Missionário Peças teatrais e jograis sobre Missões e Evangelização para igrejas evangélicas, chega para suprir uma lacuna e abençoar a todas as igrejas e grupos teatrais, auxiliando-os no esforço de promover o ardor evangelístico e missionário.
O e-book, de 245 páginas, foi organizado por Sammis Reachers e Vilma Aparecida de Oliveira Pires.

Para baixar o livro no site 4Shared (em formato PDF),CLIQUE AQUI.

Para baixar o livro no site 4Shared (em formato Word), CLIQUE AQUI.

Para leitura online ou download pelo site Scribd,CLIQUE AQUI.

*Caso tenha dificuldades em fazer o download, por favor, solicite-me o envio por e-mail: sammisreachers@ig.com.br

terça-feira, 22 de outubro de 2013

Portal de viagens Trabber é lançado no Brasil




O site de comparação de preços de viagens Trabber (trabber.com.br), líder na Espanha e América Latina, lançou seu portal brasileiro nesta sexta-feira no Brasil.

O serviço permite comparar os preços de passagens de avião, aluguel de carros e hotéis em mais de 85 portais e agências de viagens on line, sendo o único buscador de viagens do mundo que oferece preços do tipo "tudo incluído", com uma política de total transparência.

O "trabber.com" está presente em outros 12 países: EUA, Reino Unido, França, Alemanha, Itália, Espanha, Colômbia, Peru, Chile, Argentina, Venezuela e México

O serviço prevê firmar contato com mais companhias e agências brasileiras de viagens on line, a fim de desenvolver alianças neste mercado. Ele já inclui nas suas comparações de preços TAM, GOL, AZUL, além de Edreams, Decolar e Atrapalo.

Segundo o portal, França, EUA e Argentina são os destinos internacionais (de avião) preferidos dos brasileiros. Espanha, Portugal, Uruguai são os próximos na lista dos principais destinos.

"O Brasil se tornou um país de viajantes muito ativos, tanto dentro do país como na região, bem como na Europa e nos EUA, mas às vezes paga mais por suas passagens. Para que possam ser capaz de comparar preços de forma rápida e transparente, lançamos a nossa versão local do 'trabber.com' que é o 'trabber.com.br'. Desta forma ofereceremos um serviço mais personalizado e na moeda local aos brasileiros", destacou Oscar Frías, CEO e cofundador do Trabber.

O "trabber.com.br" permite que os viajantes comparem, e muitas vezes economizem centenas de reais, porque a mesma passagem para a mesma data pode ter uma diferença de até 60% de preços dependendo do portal que for adquirido.

Um exemplo é uma passagem entre São Paulo e Miami. Para a semana de 1º de dezembro pode variar entre R$ 2.046 e mais de R$ 4.500.

"O serviço leva a concorrência de preços aos mercados em que atua para beneficiar os viajantes", concluiu Frías

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Antes que eles deixem de existir: 29 tribos e culturas que resistem aos nossos tempos

Jimmy Nelson
Lucina Ribeiro -   http://papodehomem.com.br
Vi essas fotos primeiro no IdeaFixa e, logo depois, no Hypeness. Achei realmente incríveis as imagens, mas senti falta de um pouco mais de informação sobre aqueles que estavam sendo retratados. Quais eram aquelas culturas? Como pensavam aquelas pessoas? De onde vieram? Não que fosse um problema dos respectivos sites que serviram de fonte – já que a proposta deles é exatamente mostrar o apelo estético e criativo –, mas aquilo despertou em mim uma certa curiosidade motivada por um pequeno insight:
A cada dia, morre um último integrante de uma cultura.
Com isso, nunca mais vamos poder saber o que essa cultura sabia, nunca mais vamos poder beber de todo um universo de conhecimentos e sabedorias que foram úteis e garantiram a sobrevivência desse grupo. E, sejamos humildes, temos muito o que aprender e lembrar, baseados nestes velhos mitos e tradições.
Jimmy Nelson é um fotógrafo que decidiu tomar para si a missão de registrar diversos grupos que estão desaparecendo com o contato com os dias de hoje.
Ele viajou o mundo com o objetivo de conhecer tribos e culturas ameaçadas de extinção. São 15 milhões de pessoas em 29 tribos.
Traçou uma jornada percorrendo os territórios da Etiópia, Indonésia, Papua Nová Guiné, Quênia, Tanzânia, Nova Zelândia, Mongólia, Sibéria, Nepal, China, Vanuatu, Argentina, Equador, Namíbia, Índia, Sibéria e a Península de Chukotka.
Encontrou com representantes de tribos CazaquesHimbaHuliAsaro, Kalam, Goroka, Chukchi,Maori, Mustang, Gauchos, Tsaatan, Samburu, Rabari, Mursi, Ladakhi, Vanuatu, Tibetanos, Huaroani, Drokpa, Dassanech, Banna, Karo, Hamar, Arbore, Dani, Yali, Korowai, Nenets e Maasai.
O resultado foi um documentário (cujo primeiro episódio está no Youtube) e um livro chamadoBefore They Pass Away, com informações e fotografias dos povos visitados.
Escolhi abaixo uma foto de cada, indicando qual é a tribo, de onde ela é e com uma tradução de citações das respectivas culturas, coletadas pelo Jimmy Nelson.

Cazaques (Cazaquistão)

Kazakh
“Bons cavalos e águias fortes são as asas dos Cazaques”

Himba (Namíbia)

himba
“Não comece um cultivo com gado, comece um cultivo com pessoas.”

Huli (Papua-Nova Guiné)

huli
“O conhecimento é só um rumor até que ele esteja nos músculos.”

Asaro (Papua-Nova Guiné)

asaro

Kalam (Papua-Nova Guiné)

kalam

Goroka (Papua-Nova Guiné)

goroka

Chukchi (Península de Chukotka)

"A forma como você trata seu cachorro determina seu lugar no paraíso."
“A forma como você trata seu cachorro determina seu lugar no paraíso.”

Maori (Nova Zelândia)

maori
“Minha linguagem é o meu despertar, minha linguagem é a janela para minha alma.”

Mustang (Nepal)

mustang
“Aquele que sente culpa tem a voz mais alta.”

Gauchos (Argentina/Equador)

gauchos
“Um gaucho sem um cavalo é apenas um meio homem.”

Tsaatan (Mongólia)

tsaatan
“Se não existissem renas, nós não existiríamos.”

Samburu (Quênia/Tanzânia)

samburu
“Um ouvido surdo encontra-se com a morte, um ouvido que ouve encontra-se com bênçãos.”

Rabari (Índia)

"É de manhã, não importa quando você acorde."
“É de manhã, não importa quando você acorde.”

Mursi (Etiópia)

mursi
“É melhor morrer do que viver sem matar.”

Ladakhi (Índia)

ladakhi
“A terra é tão severa e os desfiladeiros tão numerosos que apenas os melhores amigos ou piores inimigos visitariam você.”

Vanuatu (Vanuatu)

vanuatu
“Garotas são como galhos de árvore de urtiga – em qualquer solo que as plante, elas vão crescer.”

Tibetanos (Tibet)

"É melhor ouvir uma vez do que ouvir muitas."
“É melhor ouvir uma vez do que ouvir muitas.”

Huaroani (Argentina/Equador)

"Como nossos ancestrais viveram, assim vamos viver. Como nossos ancestrais morreram, assim vamos morrer."
“Como nossos ancestrais viveram, assim vamos viver. Como nossos ancestrais morreram, assim vamos morrer.”

Drokpa (Índia)

drokpa

Dassanech (Etiópia)

dassanech
“Um amigo próximo pode se tornar um inimigo próximo.”

Banna (Etiópia)

banna

Karo (Etiópia)

karo

Hamar (Etiópia)

hamar

Arbore (Etiópia)

arbore

Dani (Indonésia/Papua-Nova Guiné)

"Se a mão não faz nada, a boca não mastiga."
“Se a mão não faz nada, a boca não mastiga.”

Yali (Indonésia/Papua-Nova Guiné)

yali

Korowai (Indonésia/Papua-Nova Guiné)

korowai

Nenets (Sibéria)

nenet
“Se você não beber sangue quente e comer carne fresca, está condenado a morrer na tundra.”

Masai (Quênia)

"Leões podem correr mais rápido, mas nós podemos correr mais longe."
“Leões podem correr mais rápido, mas nós podemos correr mais longe.”

sexta-feira, 11 de outubro de 2013

Crescimento da população mundial: explosão ou declínio?


O respeitado naturalista e apresentador de televisão britânico, David Attenborough, disse recentemente que o crescimento da população mundial estava "fora de controle".
Especialistas no assunto, contudo, acreditam que o número de pessoas no planeta deve atingir o pico em 40 anos - um crescimento mais lento do que em décadas anteriores.
Em quem devemos acreditar?
"A população mundial está crescendo fora de controle. Desde que eu comecei a apresentar programas, há 60 anos, a população humana triplicou," disse Attenborough em uma entrevista à BBC.
Em 1950, na época em que Attenborough começou sua carreira como apresentador, haviam 2,53 bilhões de pessoas no mundo. Sessenta e três anos depois, a última estimativa é que a população mundial é de 7.16 bilhões - cerca de 2,8 vezes maior.
Já a afirmação de que o crescimento está "fora do controle" é mais difícil de ser medida, mas poderia provavelmente ser interpretada como uma ideia de que a população continuará crescendo na mesma velocidade, e basicamente triplicará em 60 anos.
Se isso acontecer, a população do mundo poderia chegar a quase 40 bilhões até o final deste século.
Mas a última projeção da ONU prevê uma população de menos de 11 bilhões, um pouco mais de um quarto desse número.
Esse número ainda é 50% a mais do que temos hoje, mas mostra que a ONU espera um crescimento muito mais lento da população nas próximas décadas do que em décadas passadas.
Especialistas acreditam que mesmo a previsão da ONU está exagerada.
"Quando vi esses números eu percebi que eles, quase que certamente, estavam errados," disse Sanjeev Sanyal, estrategista global do Deutsche Bank. "Se você olhar para as taxas de fertilidade em grandes partes do mundo, elas estão agora abaixo do que é necessário para substituir a população."
"Grande parte da Europa, Japão, grandes países como a China, inclusive o Brasil, não produzem (os necessários) 2,2 ou 2,3 bebês (por mulher). Alguns deles estão muito abaixo desse nível e, como resultado, é quase certo que estes grandes países vão ver suas populações rapidamente em declínio em algumas décadas a partir de agora."
No geral, Sanyal prevê um quadro muito diferente do da ONU, com a população mundial chegando a 8,7 bilhões por volta de 2050, e caindo para cerca de 8 bilhões até o final do século.
Há espaço de sobra para discordância. Mas vamos torcer para que as divergências não sejam "fora de controle".

domingo, 6 de outubro de 2013

Gadget tradutor para celulares - Sigmo promete derrubar as barreiras do idioma

Sigmo
Na mão ou no pulso, com um botão você traduz – Imagem: Reprodução
Sigmo é um pequeno dispositivo útil para viagens internacionais. Ele tem um microfone e um alto falante capazes de reconhecer e traduzir mais de 25 idiomas diferentes.
Ele funciona conectado ao smartphone via Bluetooth. Um aplicativo define o idioma padrão. Com o idioma configurado, basta apertar um botão na lateral para o idioma do interlocutor e outro para traduzir para seu idioma preferencial. Infelizmente é necessário conexão com à internet no seu smartphone, mas os empreendedores pretendem disponibilizar um banco de vozes off-line.
Veja ele em ação:

O projeto, apesar de não ser revolucionário(no smartphone existem diversos aplicativos de tradução), significa praticidade. É um bom atalho para não sacar o smartphone, selecionar um aplicativo, marcar um idioma, pedir para a pessoa repetir e aguardar a tradução. Adicionalmente o dispositivo pode funcionar como ponte entre você e a Siri, do Apple iOS e talvez como viva voz para atender ligações.
Aluminium_Sigmo_Silver_and_Bronze
Edições especiais em alumínio – Imagem: Reprodução
Idealizado por empreendedores de São Francisco, nos Estados Unidos, o projeto já arrecadou cerca de 191 mil dólares no site de financiamento coletivo Indiegogo. O Sigmo custa 50 dólares para a cor branca, preta ou verde e 65 dólares para as cores prateado e dourado (para combinar com o novíssimo iPhone 5S).

terça-feira, 1 de outubro de 2013

Fotógrafo registra costumes, vestimentas e rituais de povos africanos


O fotógrafo Phyllis Galembo documenta, desde os anos 80, rituais, vestimentas, fantasias, máscaras, costumes e práticas religiosas de povos tradicionais da África. Seus ensaios também registram a influência da cultura africana no Caribe e América do Sul.
Além da beleza estética das fotos, elas também carregam mensagem política de resistência dos povos e culturas. Confira galeria.

Via IdeaFixa.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...