sábado, 14 de novembro de 2009

Conheça o Cazaquistão



DADOS GERAIS:

Capital
Astana

Governo
República, chefiada pelo presidente Nursultan Abishuly Nazarbayev desde dezembro de 1991

População
15,5 milhões (52,8% urbana)

Área
2.717.300 km2

Localização

Ásia Central

Idiomas
Cazaque, russo

Religião
Islamismo 47%, cristianismo ortodoxo russo 44%, protestantismo 2%, outras 7%

Perseguição

Alguns problemas


Restrições
A Constituição provê liberdade religiosa. Os que abandonam o islamismo são pressionados pela sociedade


Bandeira do Cazaquistão


O Cazaquistão (em cazaque Қазақстан, transl. Qazaqstan) é um país fundamentalmente asiático, embora também inclua uma região relativamente pequena que, geograficamente, pertencente à Europa: a área entre o rio Ural e a fronteira russa, que é o ponto mais oriental de todo o continente europeu. Esta característica faz do Cazaquistão uma nação transcontinental. Limita-se a norte e oeste com a Rússia, a leste com a China, a sul com o Quirguistão, o Uzbequistão e Turcomenistão e a oeste com o mar Cáspio.

O Cazaquistão foi um dos países que se tornaram independentes com a dissolução da União Soviética, tendo se declarado independente em 16 de dezembro de 1991.

O Cazaquistão é um enorme país, cujo território é do tamanho de toda Europa Ocidental. Ele possui vastos recursos minerais e grande potencial econômico.

A paisagem varia de regiões montanhosas e bastante povoadas do leste às planícies do oeste, pouco habitadas, mas ricas em recursos naturais. O industrializado norte é marcado por vegetação e clima siberiano; o centro tem suas estepes áridas e vazias, e o sul é fértil.


Subdivisões do país

História

Os cazaques, população nativa do país, são uma mistura de tribos nômades turcas e mongóis que chegaram à região no século XIII.

A área foi conquistada pela Rússia cinco séculos depois, e o Cazaquistão se tornou uma República Soviética em 1936.

Durante as décadas de 1950 e 1960, um programa agrário russo estimulava cidadãos soviéticos a cultivar o norte do Cazaquistão. Esse influxo de imigrantes, formado por russos, na maior parte, e outras etnias deportadas, fez com que o número de estrangeiros superasse o de nativos.

O país alcançou a independência em 1991, o que levou muitos recém-chegados a emigrar.

Atualmente, o país luta para desenvolver sua identidade nacional.


Governo

O atual presidente, Nazarbayev, tomou o poder em 1989, no cargo de primeiro secretário do Partido Comunista do Cazaquistão. Ele foi eleito presidente no ano seguinte. Ele foi re-eleito depois da queda da União Soviética em 1991.

Nazarbayev concentra amplos poderes e é acusado pela oposição de reprimir dissidentes. Embora diga que defende a democracia, alerta que uma mudança rápida pode colocar a estabilidade em risco.

Um referendo em 1995 estendeu seu mandato e em 1999 ele foi re-eleito. Seu oponente foi proibido de participar por detalhes técnicos.

O parlamento aprovou, em 2007, que Nazarbayev ficasse no poder por um número ilimitado de mandatos. Quando ele sair do poder, terá lugar permanente no conselho de defesa e o cargo de chefe da assembleia popular.

As forças políticas de oposição e os meios de comunicação independentes têm suas atividades restringidas. O governo controla a imprensa, algumas estações de rádio e televisão.


População

O país é diverso etnicamente. Os cazaques, a etnia original, compõem mais de metade da população. Os russos são 28% e o restante é de outros povos do leste europeu. Esses grupos étnicos geralmente vivem em harmonia.

O Cazaquistão é um país bilíngue. A língua cazaque, falada por 64,4% da população, tem o status de "idioma estatal". O russo é declarado a "língua oficial" e é usado nos negócios.

A educação é compulsória até o fim do ensino médio. A taxa de alfabetização é 99,5%.

É alto o número de viciados em drogas. O Cazaquistão tem a taxa mais alta de infectados com o vírus HIV da Ásia Central.


Economia

O Cazaquistão é rico em petróleo e 67% das exportações feitas pelo país são de derivados do petróleo.

Embora o país seja o mais rico da Ásia Central, a pobreza é ainda ampla. Depois da independência, a riqueza ficou concentrada na elite.

A corrupção e a burocracia impedem o desenvolvimento de iniciativas privadas.


A Igreja

Nos séculos VII e VIII, o nestorianismo espalhou-se pelo sul do Cazaquistão e chegou a influenciar os líderes. Estabeleceram-se sedes episcopais na região.

Tamerlão, o último dos grandes conquistadores nômades da Ásia Central, erradicou o cristianismo no século XIV. Na sua luta para conquistar o mundo, Tamerlão matou infieis, porque não eram muçulmanos, e muçulmanos, porque não eram fieis.

Durante o "Grande Expurgo" - período em que o ditador soviético Josef Stalin perseguiu seus opositores políticos -, muitos cidadãos foram deportados para o Cazaquistão, entre eles, cristãos ortodoxos, católicos e protestantes.

Sacerdotes também foram deportados e enviados a campos de concentração no Cazaquistão. Uma vez soltos, eles iniciaram um ministério clandestino. A Igreja cresceu principalmente entre os não-cazaques.

Após a independência, luteranos russos de origem alemã saíram do Cazaquistão com destino à Alemanha, à Rússia e a outros países.

A influência cristã diminuiu, mas a independência trouxe mais liberdade religiosa ao país. Missionários e evangelistas levaram milhares de cazaques a abraçar o cristianismo. Nasceu, então, uma forte Igreja no Cazaquistão.


A perseguição

Existe a pressão da sociedade: para os cazaques, abraçar o cristianismo significa perder a identidade nacional. Um convertido comentou: "A maioria dos meus amigos cazaques toma álcool e não pratica os rituais islâmicos. Mas eles se consideram muçulmanos. Para eles, quem se torna cristão é um traidor que rejeitou os costumes nacionais".

Isso acontece porque, como em outros países da Ásia Central, o cristianismo é considerado como a religião dos russos. Especialmente no sul do país, perto da fronteira com o Uzbequistão, recém-convertidos têm problemas com seus parentes, clérigos ou patrões. Alguns perdem o emprego e são expulsos de casa.

Oficialmente falando, há liberdade religiosa no país. Entretanto, um assunto que tem preocupado a Igreja nos últimos dias é uma lei que dá ao Estado maior controle sobre as atividades religiosas.

Em 11 de fevereiro de 2009, o Conselho Constitucional do Cazaquistão afirmou que a nova lei religiosa é inconstitucional. A lei foi mandada ao presidente, que deve revisá-la até março.

As autoridades oprimem a Igreja de diversas formas. O registro das comunidades religiosas é compulsório, sob risco de multa. Forças de segurança interrompem cultos cristãos, filmando os participantes e recolhendo informações pessoais. Isso intimida os membros da igreja e outras pessoas que se interessem em participar dos cultos.

Os cristãos protestantes sofrem mais que os outros, pois o governo desestimula a associação a grupos religiosos não-tradicionais (como a Igreja católica e a ortodoxa).

Muitos consideram os cristãos protestantes como membros de grupos não-tradicionais. A Igreja Batista é considerada uma seita.

Além disso, os meios de comunicação controlados pelo governo geralmente os retratam como ameaça à segurança e à sociedade.

Andrei Blok, um pastor batista da cidade de Esile, próximo à capital, foi processado por atividade religiosa não-registrada. A Igreja que pastoreia não é registrada - e nem quer o registro. Por dirigir uma congregação não-registrada, o pastor Andrei foi multado. No entanto, ele se recusou a pagar a multa.

Em outubro de 2008 teve início seu julgamento. Os membros de sua igreja temiam que ele fosse sentenciado a seis meses de prisão.

O juiz que presidiu o caso puniu Andrei com 150 horas de trabalho obrigatório. Sua família comenta: "Se não fosse pelos inúmeros telefonemas internacionais que o tribunal e as autoridades receberam, Andrei teria sido sentenciado a alguns meses na prisão".


Motivos de oração

1. A Igreja está preocupada com a nova lei religiosa. Se a lei for aprovada pelo presidente, trará restrições na prática do culto. Peça a Deus para conduzir a decisão do presidente Nursultan Nazarbayev.

2. O islamismo espalha-se rapidamente. Aumentou o número de propagandas islâmicas no país, principalmente na região da fronteira com o Uzbequistão. Peça a Deus para derramar ousadia sobre a Igreja cazaque para alcançar os muçulmanos, mas também sabedoria, a fim de que saiba como conduzir esse ministério.

3. Os cristãos protestantes sofrem com a publicidade negativa. Ore para que a sociedade seja mais justa em relação aos cristãos, e procure conhecê-los melhor antes de rotulá-los como traidores e ameaças.


____________________________________

FOTOS




Nas fotos acima, a capital do país, Astana



Vendedores


Mar de Aral




Almaty é a maior cidade da era soviética do Cazaquistão


Torre Bayterek, em Astana, capital do Cazaquistão.


Mesquita em Pavlodar; os cazaques seguem
predominantemente o
Islamismo Sunita.


Fonte dos textos: Missão Portas Abertas e Wikipédia (adaptados)

Um comentário:

cinenegocioseimoveis disse...

Cazaquistão, o novo mercado do luxo:
http://cinenegocioseimoveis.blogspot.com/2012/09/cazaquistao-o-novo-mercado-do-luxo.html
.
Abraço a Todos
Osvaldo Aires

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...